quarta-feira, 14 de setembro de 2011



Há palavras que só os beijos calam

Acordei devagarinho com a luz suave da manhã a acariciar-me a pele e o cheiro a maresia a inundar-me os sentidos. Libertei-me lentamente dos braços dele e olhei em volta. Em frente tinha o imenso mar azul, plácido e apetecível. As gaivotas piavam no alvoroço de terem a praia por sua conta. Fechei os olhos e, por momentos, voltei ao céu estrelado da noite anterior. Estrelas, milhões delas, testemunhas mudas do prazer que partilhámos, testemunhas mudas de tantas estórias. 

Ele acordou. Sorriu e beijou-me com olhos de desejo. Ainda tentei argumentar que a qualquer momento chegariam os primeiros madrugadores à praia mas... há resistências que só o desejo vence e há palavras que só os beijos calam.


Missanga

1 comentário:

Gollum disse...

Mas o que é isto?? Beijinhos e carinhos?? Elas querem é ajoelhar diante do senhor...
http://diariodeumeditor.blogspot.com