terça-feira, 8 de março de 2011

Palavras Versadas


ascensão

o princípio da tua manhã traz espuma
no canto dos lábios
e como se pedisses a previsão do clima
que gravará o dia na nossa memória azul
afasto as chávenas incandescentes
até nada mais entre nós obstruir o calor
apontando a janela, digo: meu amor
sou aquele pinheiro alto
e há dele um cimo aceso que nunca
irás tocar com as mãos
mas não te é inacessível nem estás presa
apenas eu solto, e assim
podes fazer de conta, ou voar ferozmente
ziguezaguear caminhos e inventar outros
não te quedes cabisbaixa, como uma raiz
não espero por ti, mas quero que me alcances
abandona a raiz. como o café se anuncia
na manhã com aromas alpinistas.
e toma atenção: todos os dias hei-de crescer
mais e mais, como uma criança incorrigível
quero ter a cabeça nas nuvens


Bill enGates

2 comentários:

CAROLINA CAETANO disse...

Este o fanfarrão. Os cinco últimos versos me tomaram e me encantaram e ainda me repetem.

AnaMar (pseudónimo) disse...

Gostei mesmo muito :-)