quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

A PALAVRA AOS NOSSOS CONVIDADOS... (I)


SERIA DOMINGO

Gangorras sobem e descem em seu movimento familiar enquanto sacos de pipoca e algodões doce são degustados por bocas infantis sorridentes; desafiando a gravidade, impulsionados por mãos adultas prestativas, outros sorrisos maravilhados se encantam com os balanços do parque: é domingo.

uma luz vermelha se acende no ar sustentada por uma estrutura metálica e automóveis detém seu avanço em um gesto simultâneo, dando passagem para pés apressados cobrirem linhas paralelas; olhos femininos se rendem aos últimos modelitos das vitrines: é segunda-feira.

entre as nuvens e os arranha-céus, um rastro de fumaça esbranquiçada denuncia o estrondoso pássaro supersônico; abaixo, pacientes em estado vegetativo permanecem indiferentes a qualquer estímulo, esperança salgada vertendo dos rostos dos familiares e amigos, mais próximos do que nunca: é terça-feira.

casais trocam confidências e carícias em passeios públicos, momentos a dois divididos por centenas e milhares – as taxas de natalidade receberão acréscimos; àqueles para quem o amor não foi endereçado têm um encontro marcado com os monitores de computador e as telas de televisão, adiando a visita à maternidade: é quarta-feira.

do lado de fora da janela do sexto andar, o vazio captura o olhar pensativo de alguém flagrado no equilíbrio precário entre a atitude e a indecisão; uma troca de tiros na mesma rua encerrará o dilema shakesperiano, assassinando a dúvida torturante: é quinta-feira.

a pressão de um dedo sobre um número errado apresentará o admirador secreto à estrela que se sobressai em meio aos flashes e holofotes; quando as asas da mariposa estiverem sendo chamuscadas pelas luzes intensas, ele lembrará dos breves momentos de ausência da realidade e lamentará o imprevisto: é sexta-feira.

o abominável homem desprezado que fez de jornais velhos, cama, e de sacos de lixo, cobertor, acordará dentro de um sonho; o assaltante de bancos não deu pela falta de um milhão de reais durante a fuga – quantia modesta comparada ao produto total da pilhagem: é sábado.

lentes telescópicas em observatórios astronômicos insones identificam a aparência inconfundível de um asteróide se avizinhando em velocidade maior do que qualquer providência a ser tomada: seria domingo.


Rinaldo Leriano - Criciúma, Brasil

1 comentário: